sábado, 14 de outubro de 2017

Envio de Queixas para a RTP



Presidente do Conselho de Administração da RTP assiste a uma tourada televisionada, tece grandes elogios à tauromaquia e fala numa “parceria para continuar”. Por favor, apresente a sua queixa quanto ao sucedido em  ▶ https://goo.gl/uW7NQH

----- Mensagem sugerida -----

Exmo. Sr. Provedor,

Acabei de saber, via redes sociais, que o Presidente do Conselho de Administração da RTP tomou partido a favor da tauromaquia, durante uma entrevista no decorrer da tourada emitida pelo canal 1 em 12/10/2017. Referindo-se às touradas, não só proferiu afirmações como é um “bom espectáculo” e é “um espectáculo familiar”, como deu a entender que a RTP as vai continuar a emitir, dizendo que “é uma parceria para continuar”.

Considero inadmissível que, perante um tema tão fracturante como a tauromaquia, e num contexto em que o processo mais volumoso de queixas que existe na RTP é o que respeita à emissão de touradas, um membro do conselho de administração tenha a atitude que acabei de descrever.

Manifestada que está a minha indignação, peço a V. Exa. que faça o que for possível para que, enquanto a RTP não deixar de emitir touradas, representantes dessa estação de televisão não aproveitem a emissão das mesmas para se mostrarem e para tentarem beneficiar a indústria tauromáquica. Parece-me que é o mínimo que se deve exigir.

Com os melhores cumprimentos,

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Caixa Geral de Depósitos *Não* Apoia Touradas

Caixa Geral de Depósitos esclarece que o seu logotipo foi indevidamente utilizado no cartaz do IX FESTIVAL TAURINO A FAVOR DA CERCIBEJA e que "tem, por princípio, não apoiar touradas ou outras manifestações culturais onde haja violência contra animais". O nosso muito obrigado a todas as pessoas que questionaram a CGD a este propósito; bem como à Caixa, com certeza.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Resposta da FENACERCI (à mensagem da publicação anterior)

Resposta célere à mensagem da "Acção - Touradas Não" que demonstra boa vontade da parte da FENACERCI quanto ao assunto "Cercis e touradas". Esperemos que a reflexão, e a sugestão e aconselhamento de caminhos a seguir, nos tragam os resultados desejados.    

"Caras amigas /caros amigos

Acusamos a recção do vosso mail, que mereceu, como não podia deixar de ser a nossa melhor atenção. A Fenacerci pauta-se por uma atitude condizente com o absoluto respeito pelos direitos das pessoas e dos animais e, desse ponto de vista, subscrevemos as vossas preocupações. Assumimos também o compromisso de refletirmos com as nossas associadas as matérias que se prendem com uma ação alinhada e consequente no que toca à defesa dos direitos dos animais. Como certamente saberão, cada uma das nossas associadas é autónoma das suas decisões e nós, nestas matérias que não envolvem atos ilícitos, apenas podemos sugerir ou aconselhar caminhos a seguir. Isso não invalida que não façamos um contacto imediato com a nossa associada, para percebermos melhor os contornos da situação.
De qualquer modo, agradecemos o vosso contacto, na medida em que nos alerta para uma matéria que tem que merecer a nossa imediata atenção.

Aceitem os nossos melhores cumprimentos,


cid:image001.jpg@01CF7F51.4BE43800
Rogério Cação
Vice presidente da Direção"

Acção - Touradas Não





A CerciBeja já foi beneficiária/apoiante de nove touradas. Não podemos permitir que as Cercis continuem a associar-se à tauromaquia. Por favor, escreva para a Federação que as representa, bem como para a Caixa Geral de Depósitos, cujo logotipo consta no cartaz da tourada do dia 7/10/2017. 

Basta enviar a mensagem abaixo sugerida (ou outra) para os endereços indicados. 

----- Mensagem sugerida -----

Para:
com.marketing@fenacerci.pt, cgd@cgd.pt

Cc:
marinhenses.antitouradas@gmail.com

Assunto: Touradas Não
(ou outro assunto que lhe pareça apropriado)

Exmos. Srs.,

Começando por me dirigir à Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social (FENACERCI), enquanto representante da Cercibeja,

Escrevo-lhes para expressar a minha mais profunda insatisfação por a CerciBeja ter sido beneficiária, e paralelamente apoiante, de um “Festival Taurino” decorrido no dia 7 de Outubro de 2017, bem como por ter levado pessoas com deficiência intelectual a assistir e por ter demonstrado uma total falta de respeito pelas muitas pessoas que deixaram pedidos de cancelamento da tourada na página do Facebook da Instituição mas que tiveram como única resposta a eliminação dos seus respectivos comentários.

Na recente tourada a favor da referida Instituição de Beja, obrigaram-se vários equinos e seis bovinos a participar. Sujeitaram-se esses equinos a elevados níveis de stress e a diversos perigos, como o de serem colhidos pelos bovinos. Humilharam-se e torturaram-se os bovinos, sem se dispensarem sevícias como cravar ferros com arpões nos corpos dos animais ao som de olés e aplausos.

É verdade que a tauromaquia ainda beneficia, no nosso país, de uma excepção expressa na mesma lei que proíbe expressamente “todas as violências injustificadas contra animais”, como sejam, infligir-lhes “a morte, o sofrimento cruel e prolongado ou graves lesões”, discriminando assim os touros relativamente aos outros animais não humanos. Mas é indiscutível que, embora ainda legalmente permitida, se trata de uma actividade violenta que causa muita repulsa na sociedade portuguesa. E é por esta polémica actividade implicar violência contra seres sencientes, excluídos e colocados numa situação de vulnerabilidade, que me parece que as Cercis dela se deveriam distanciar.

A mais recente tourada a favor da CerciBeja pode até ter rendido, segundo informações veiculadas por blogues tauromáquicos, 3.013,54 euros; mas é certo que afectou negativamente a credibilidade desta Cerci e das Cercis em geral.

Venho, pois, pedir à FENACERCI para recomendar às suas associadas que não sejam beneficiárias de espectáculos tauromáquicos.

Aproveito a presente mensagem para perguntar à Caixa Geral de Depósitos se tem conhecimento de que o seu logotipo constou no cartaz publicitário da referida tourada, e se a patrocinou.

Agradecendo a atenção dispensada,
Com os melhores cumprimentos,
(Nome)
(Localidade)

sábado, 9 de setembro de 2017

ÚLTIMO DIA (10/09) – VOTE JÁ no Orçamento Participativo de Portugal

Foto de Marinhenses Anti-touradas.
Vote online no projecto “Cultura para Todos” (livros e entradas em espaços culturais grátis). Aqui: https://opp.gov.pt/projetos/todos/463-cultura-para-todos


Entre centenas de projectos, os dois projectos com mais partilhas são: “Tauromaquia, Património Cultural de Portugal” e “Cultura para TODOS”. Qual dos dois vencerá a iniciativa do Governo de Portugal? A escolha é SUA!

sábado, 2 de setembro de 2017

Património Cultural? Que Vos diz mais esta colhida de ontem?


Mais um cavalo colhido numa tourada. Aconteceu ontem (1/09) numa “Corrida de Gala à Antiga Portuguesa”, em Mérida. O toureiro Português não sofreu lesões. O CAVALO foi perfurado e ficou GRAVEMENTE FERIDO. Segundo o site Touro e Ouro, o equino está, neste momento, internado. Isto também é tauromaquia e tem de acabar!

Sabia que estão a ser dados passos para que a tauromaquia passe a ser formalmente considerada “Património Cultural de Portugal”? Um dos passos pode custar-nos (a todos/as nós - contribuintes fiscais) 200 mil euros! Não o permita! Não pode votar CONTRA o projecto da indústria tauromáquica no Orçamento Participativo de Portugal, mas pode votar online num outro projecto, que não está associado a maus-tratos aos animais, e que é o principal concorrente do Projecto “Tauromaquia, Património Cultural de Portugal”.

CONTRA AS TOURADAS, e por um projecto capaz de trazer mais cultura aos Portugueses e Portuguesas e de fazer com que o projecto da indústria tauromáquica não vença a iniciativa do Governo de Portugal, por favor:

► VOTE “CULTURA PARA TODOS”. Clique no link (a azul) e siga os passos
https://opp.gov.pt/projetos/todos/463-cultura-para-todos